Lucca, Itália: o que fazer

Já ouviu falar de Lucca, Itália? É uma cidadezinha, ou melhor, uma comuna da região da Toscana, que fica às margens do Rio Serchio.

Você vai adorar conhecer suas muralhas, que se estendem por quilômetros: felizmente elas nunca precisaram ser “usadas” para defender a cidade, e estão em perfeito estado de conservação.

Além disso, a comuna tem outros pontos turísticos interessantes, como uma igreja decorada com temas pagãos e diversos lugares onde experimentar a requintada gastronomia italiana.

Lucca, Itália: um dos melhores destinos da Toscana!

A província de Lucca é cheia de encantos, você vai adorar conhecer a antiquíssima Catedral São Martino, a Basílica São Frediano, além de seus vários edifícios e pontos turísticos que contam a história local.

Muitas bicicletas circulam por lá, principalmente no centro histórico. Você tem a opção de alugar uma, se quiser, o que é altamente recomendado para circular com agilidade por entre as vielas da cidade.

Os passeios pelas vinícolas da região também são incríveis, assim como outros tipos de atividade ao ar livre em praças, parques e fazendas de oliveiras.

Lucca é uma das cidades da Toscana, que vai desde o litoral leste até as imediações do Parque Regional Natural de Sasso Simone e Simoncello, a oeste.

A Província de Lucca, Itália, fica a 95 km da capital da Toscana, Florença, berço das artes renascentistas italianas.

E ainda, se quiser visitar Pisa, com sua famosa torre inclinada, saiba que a cidade está localizada a apenas 30 km de distância.

Como chegar em Lucca?

A forma mais prática de chegar onde fica Lucca, na Itália, é desembarcando no Aeroporto Internacional Galileo Galilei, em Pisa, terra natal do famoso cientista.

O turista pode embarcar na Estação de Pisa Centrale ou na Estação de Pisa San Rossore. O trem faz o trajeto em cerca de meia hora e a viagem expressa dura até 45 minutos.

Um outro bom ponto de partida para se chegar em Lucca é Florença. Embora o trem expresso seja menos frequente do que em Pisa, e ele gaste um pouco mais do que uma hora para chegar.

Siena, Parma e Bolonha também são cidades próximas o bastante para você encarar um breve trecho de estradas depois que desembarcar do voo, que dura pouco mais do que 13 horas saindo de Guarulhos, São Paulo.

Quando ir para Lucca?

Em Lucca, Itália, o que fazer nunca é um problema e você pode visitar o local durante todo o ano.

O inverno não é rigoroso, tendo a temperatura mais baixa na casa dos 8°C, em janeiro, enquanto o verão fica na faixa dos 28°C, tendo seu pico de calor em agosto.

O clima mediterrâneo é marcado por um verão seco, quente e abafado, sendo necessário recorrer às belas praias para se refrescar, enquanto o inverno é ameno.

De modo geral, chove de três a quatro meses por ano na região mediterrânea, mas em Lucca é comum que a estiagem dure até 200 dias.

O que tem para fazer em Lucca?

Vamos falar agora sobre o que tem para fazer em Lucca e como aproveitar um dos destinos italianos mais charmosos.

São muitas atrações, que vão desde pontos turísticos históricos incríveis, até restaurantes que servem o melhor da culinária italiana.

Acompanhe e anote quais são os lugares indispensáveis para o seu tipo de viagem!

Centro Histórico

Praça do Anfiteatro fica bem no meio das ruas da cidade e marca o local onde aconteciam batalhas de gladiadores e espetáculos populares, lá pelos idos do século II d.c.

Acompanhe a Rua Fillungo para ver os edifícios mais impressionantes como a Torre do Relógio, além de lojas e outros pontos de comércio. Se não quiser alugar uma bike, sem problemas!

É muito agradável percorrer as ruas e descobrir cantos escondidos e pontos importantes como a Igreja de São Miguel, que demorou para ficar pronta, sendo construída há mais de 1000 anos!

Se tiver tempo, visite também o Museu Nacional de Villa Guinigi e a Torre Guinigi, com seus jardins no topo, para ter a vista mais linda do lugar, mas vamos falar detalhadamente sobre ela adiante, acompanhe.

Muralhas

As muralhas se estendem por mais de 4 km, cercando o centro. Dá para caminhar tranquilamente sobre a estrutura, de onde se tem uma vista excelente dos arredores e cidades vizinhas.

Existem restaurantes e lojas nas muralhas, além de diversas entradas como a Porta San Pietro, parecida com uma mansão medieval, a Porta Vittorio Emanuele, que lembra um túnel, e a imponente Porta de Santa Maria.

Duomo di Lucca

É a Catedral da província de Lucca, um lugar ótimo para quem gosta de história.

Começou a ser construída em estilo românico, mas acabou passando por reformulações góticas e renascentistas com o passar dos anos.

A igreja guarda uma estátua de madeira do cristo crucificado, com 2,5 metros de altura.

A autoria da peça é desconhecida, mas lendas locais atribuem o trabalho a Nicodemos, que ajudou José de Arimatéia no sepultamento do messias cristão.

A catedral também abriga obras de pintores italianos importantes como o Ghirlandaio, mestre de Michelangelo, Jacopo Pintoresco, conhecido como Il Furioso, por causa de seus trabalhos dramáticos, e o florentino Fra Bartolomeo.

Casa de Puccini

Nascido na província de Lucca, em 1858, Giacomo Puccini é um famoso compositor italiano das óperas mais interpretadas do mundo.

Dentre seus trabalhos mais relevantes estão “La Bohéme”, “Madame Butterfly”, “Tosca” e “Turandot”, sua última ópera.

O Museu Casa Natale Giacomo Puccini, fica no apartamento onde o compositor nasceu e criou parte de seu legado.

O local abriga diversos objetos pessoais do músico como cartas, livros, móveis originais da época, pinturas e, inclusive, um piano Steinway & Sons em que ele teria criado Turandot.

O instrumento ficava na casa de Puccini em Milão, mas foi transferido no final de 1921 para Viareggio.

Torre Guinigi

Começou a ser construída por volta de 1370 pela família Guinigi, que mais tarde doou a torre para o governo. Fica na esquina da Via Sant’Andrea e Via Delle Chiavi D’Oro.

Nessa época, as famílias demonstravam sua nobreza e poder aquisitivo construindo edifícios magnânimos, e a Torre Guinigi é um exemplo disso.

Para chegar ao topo são 225 degraus, e as paredes internas têm pinturas e documentos que retratam um pouco da realidade da província de Lucca na época.

No topo, o turista pode se refugiar à sombra das azinheiras ou observar a incrível vista da cidade pelos binóculos de uso público.

Via Fillungo

A Via Fillungo é a principal rua do centro histórico de Lucca, Itália. Concentra importantes edifícios, lojas de marcas famosas, cafés e restaurantes, além de hotéis de alto padrão.

A importância histórica de Lucca, no entanto, vai muito além de sua estrutura bem preservada.

Foi nessa província que ficou estabelecido o Primeiro Triunvirato, um acordo e aliança política do ano de 56 a.c., na República Romana.

É muito interessante observar as lojas que vendem produtos modernos, instaladas em prédios medievais!

Você pode apreciar um gelato enquanto percorre a vizinhança, que dá acesso aos principais pontos turísticos de Lucca, Itália, inclusive à Praça do Anfiteatro.

Piazza dell’Anfiteatro

Você encontrará na Praça do Anfiteatro, construído no século I ou II a.c, o provável lugar da fundação da província de Lucca.

É muito interessante observar Lucca no mapa porque a única estrutura circular é justamente a Praça do Anfiteatro, que fica sobre um antigo teatro romano, com capacidade para até 10 mil pessoas.

A praça, como conhecemos hoje, foi planejada pelo arquiteto Lorenzo Nottolini, que deu a ordem de derrubada de vários dos prédios que ocupavam as partes mais centrais da elipse, onde ficava o antigo anfiteatro.

É um dos principais pontos turísticos de Lucca, tem vários cafés chiques, restaurantes e os andares mais altos dos edifícios são residenciais.

Palazzo Pfanner

Esse palácio é um exemplo de construção que foi feita para ostentar a riqueza da família Moricani, comerciantes de seda que começaram suas obras em 1660.

Os Controni, outra família, compraram a propriedade em 1680 e adicionaram uma suntuosa escadaria. Somente no século XIX, os Pfanner adquiriram o palácio e adicionaram sua personalidade ao local.

O interior possui afrescos incríveis, além de uma curiosa coleção de instrumentos cirúrgicos, pertencentes a Pietro Pfanner, médico cirurgião e ex-prefeito da província de Lucca.

Boa viagem!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.